A Árvore da Vida

Árvore da Vida não é um filme muito explicável por ser sensorial e de interpretações bastante pessoais. É uma obra tentando dar conta de entender o que é o homem, deus, a vida, a morte, tudo, ou pelo menos o que elas representam. Terrence Malick conta a história de um garoto/homem frente a esse tudo em sequencias fragmentadas, interrompidas por cenas da formação do mundo – e que é também a formação desse personagem.

O que forma a história toda que Malick quer contar é a excelente montagem. Os fragmentos “aleatórios”  não apresentam uma ordem cronológica. As cenas e enquadramentos fazem sentido porque o que o filme quer dizer não é a história de cada personagem, mas seus sentimento de mundo e consciência. A fotografia belíssima ressalta o espanto e o entusiasmo dos personagens com a beleza da vida e do mundo.

Malick tenta abraçar o mundo e consegue. Não é difícil embarcar na observação de tudo aquilo com a mesma empolgação, assim como o roteiro sabe dar o tom para tornar as questões dos personagens em universais – embora também os componha muito bem, sem torná-los genéricos. Árvore da Vida  é o tipo de filme que não está ali com começo-meio-fim, mas com a expectativa de tornar-se um memória ativa após o final da sessão.

Filmes citados:
A Árvore da Vida (The Tree of Life, 2011) *****

Anúncios

2 Respostas para “A Árvore da Vida

  1. Pingback: Os indicados ao Oscar 2012 « no escuro e vendo·

  2. Pingback: Os indicados ao Oscar de melhor filme (2012) « no escuro e vendo·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s