2010 – Os piores filmes do ano

Ano novo, vida nova. Hora de esquecer o passado e mandar energias positivas para o ano que vem. Eu não. Eu sou rancoroso. Alguns diriam vingativo e sem ritmo. Eu pretendo deixar registrado que passei mais ou menos 30 horas vendo essas coisas daqui embaixo. São quinze, para caber todos os ruins, e arredondei, porque não queremos nenhum bad karma por conta da numerologia.

Tem diretor recebendo troféu de pior consecutivamente no segundo ano dessa brincadeira. Tem dois hors concours – podemos chamar esse prêmio de Paul Haggis ou Christopher Nolan se quiserem e acharem divertido. O do segundo é o hitzinho do ano, vai ter muita gente reclamando, o que eu vou achar divertidíssimo. Temos duas terceiras sequencias. Vários filmes que não justificaram sua existência. Mas o primeiro lugar mesmo ficou com um cara que já fez filme bom, porém, acabou se mostrando apenas m ótimo executor, bem pouco criativo.

Três bolinhas pretas, o ano passado foram cinco. O cinema melhorou? Acho que não. Eu só provavelmente estou ficando mais esperto e pegando a manha de evitar certas coisas. Algumas são inevitáveis para quem não mora numa bolha: três dos citados abaixo eu fui completamente levado por más companhias. Nenhuma grande decepção, o que eu queria ver, não fui esperando obra-prima.

Só para lembrar, caro amigo, eu não sou crítico de cinema. Eu não ví todos os filmes do ano. Essa é uma lista totalmente pessoal, sinta-se livre para discordar.Eu não sei o que é cinema para você, mas essa lista é sobre o que cinema para mim.

Bom, já perdi tempo demais com eles, vamos acabar logo com isso. Eis os piores filmes do ano, considerando apenas o circuito comercial de cinema brasileiro de 2010.

 

15 Direito de Amar **
A Single Man
dirigido por Tom Ford, 2009

Uma das cenas mais bonitas e tocantes do ano em um filme que, na tentativa do sublime, acaba artificial.

 


14 Coração Louco *
Crazy Heart
dirigido por Scott Cooper, 2009

Um filme que nunca causa nenhum nível de interesse. Nem mesmo parece ter tentado.

 


13 A Origem *
Inception
dirigido por Christopher Nolan, 2010

Muito didatismo para explicar cada centímetro da megalomania de Nolan.

 


12 Resident Evil: Afterlife *
Idem
dirigido por Paul W.S. Anderson, 2010

Um fiapo de história estendido por duas horas de slowmotion.

 


11 Demônio *
Demon
dirigido por John Erick Dowdle, 2010

Suspense, susto, clímax… não há.

10 Meu Malvado Favorito *
Despicable Me
dirigido por
Pierre Coffin e Chris Renaud, 2010

Personagenzinhos engraçadinhos fazendo piadinhas bobinhas . Isso mesmo. Bota um inho em cada coisa e vende uns ingressos aê.

 


09 Os EUA Contra John Lennon *
The EUA Vs. John Lennon
dirigido por
David Leaf e John Scheinfeld, 2009

O filme se leva tão a sério que não enxerga não ter muito o que dizer.

 


08 Amor Sem Escalas *
Up In The Air
dirigido por Jason Reitman, 2009

Panfletismo conservador e conformista barato e sem graça.

 


07 Idas e Vindas do Amor *
Valentines Day
dirigido por
Garry Marshal, 2010

Tantas histórias, nenhuma realmente boa, muitas vergonhosamente ruins.

 


06 Patrick 1,5 *
Idem
dirigido por Ellla Lamhagen, 2009

Este filme  sueco traz simplismos no roteiro e dá a mesma pouca importância à fluência do filme, enquanto parece acreditar ser bastante sensível em cada um de seus diálogos e prefere adotar simbolismos para apresentar cada personagem ao invés de desenvolvê-los.

 


05 Percy Jackson e o Ladrão de Raios *
Percy Jackson and the Olympians: The Lightning Thief
dirigido por Chris Columbus, 2010

Notavelmente capitular de elementos que se encaixam com a mesma dificuldade de um quebra-cabeça de quatro peças.

 


04 72 Horas *
The Next Three Days
dirigido por Paul Haggis, 2010

Paul Haggis mostra com quantas cenas forçadass e nenhuma qualidade se faz mais um filme ruim.

 


03 Entre Irmãos
Brothers
dirigido por
Jim Sheridan, 2009

Mais um melodrama de guerra óbvio e oco. Alguém aguenta?

 


02 Shrek Para Sempre
Shrek Forever After
dirigido por
Mike Mitchel, 2010

A necessidade comercial tornou tudo o que primeiro Shrek repudiava nessa sequencia sem graça.

 

01 Um Olhar do Paraíso
The Lovely Bones, 2009
dirigido por Peter Jackson, 2009

Simplismo e falta de criatividade. Os campos elíseos de Peter Jackson entram na definição clichê de campos verdejantes, abertos, de lagoinhas, sol forte e céu azul. Tudo embalado em plástico-bolha. Mas nada no filme o afunda tanto quanto as sabotagens que faz para si mesmo. As resoluções são interessantes. Mas o diretor dá ênfase à momentos que fazem dessas soluções questionáveis.

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s