a origem

A Origem (2010), de Christopher Nolan. No fim da contas “A Origem” não é da complexidade de compreensão toda que alarmaram. É sim um roteiro intricado, mas que se resolve bem. Como os outros todos do Nolan, o problema não é amarrar a loucura, é o que falta para que ela não seja oca. É o melhor longa do diretor desde seu segundo filme em 2000, ainda que mais mediano que o suspense de ordem invertida.

Assim como em “Amnésia”, a trama estranha é interessante e serve bem ao filme, o grande problema é a forma adotada por Christopher Nolan. Sim, é bem difícil amarrar uma história com sonhos dentro de sonhos que estão dentro de sonhos e que ainda, podemos dizer, tem uma mitologia quase própria. Mas não acho que um manual de instruções de mais de uma hora seja a melhor forma. Ainda menos amarrar completamente os personagens à mirabolância da história e deixá-los mal desenvolvidos. O lado dramático da história, portanto, praticamente não funciona. Podemos ficar embasbacados com a potência da estratégia executada, mas nunca emocionados ou sensíveis ao drama de personagem algum. O primeiro diálogo sobre o limbo, por exemplo, passa longe de ser um momento de suspense. Na verdade, como o surrealismo do filme é quase tudo o que ele tem a apresentar, queremos mesmo é que todos os personagens nos deixem descobrir qual é a da vez.

E o surrealismo é pobre, eu diria. Talvez piorado pela montagem de takes apressados comum a quase todos os filmes de Nolan que me lembro. Pode ser pura psicodelia, mas se não houver tempo suficiente para apreciação, é a mesma cena de ação repitida em outras centenas de filmes preguiçosos. Mas “Inception” não é pura psicodelia, a arquitetura do sonho é bem simplória. Infelizmente concreto.

“A Origem” poderia ter sido uma aventura mais divertida, não tivesse mais uma vez (os problemas do diretor são constantes) sido longo e lento demais. Mas o que faltou mais foi ritmo. A ambição de Christopher Nolan daria um suspense interessante, se melhor executado.

Filmes citados:
Amnésia (Memento) ***
A Origem (Inception) **

Anúncios

3 Respostas para “a origem

  1. Muito bacana… Tá mandando muito bem na escrita! Parabéns Rafa, sucesso! Com certeza suas críticas tem um embasamento muito rico…
    Até mais!

  2. Pingback: filmes de 2010 – o que foi visto « no escuro e vendo·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s