cidadão boilesen

O documentário é talvez a forma de cinema que mais vezes, mesmo com um bom material, passa regular na falta de forma de narrar. Nem todos são Eduardo Coutinho. Não é necessário inovar, mas uma certa fluência para sair de Discovery Channel e se tornar um filme-documentário. Chaim Litewski tem recursos gráficos excelentes, que usa de interlúdio para tornar o documentário mais que cabeças falantes, bem como tem material dos melhores para completar o espaço, situar o documentário e inserir forma a tudo aquilo ali. Das inserções só não gosto das fictícias que na maioria das vezes parecem perdidas. Mas “Cidadão Boilesen” além de tecnicamente dar-se bem, traz essa mesma qualidade para seu tema, a ditadura militar, quase sempre tratado passionalmente ou se torna um documento de papel.

Outro documentário deu forma e conteúdo ao tema nesse ano. O documentário-biografia de Wilson Simonal, na história de seu personagem, situa uma ignorância ao redor como contexto histórico que o torna habilmente crível, além de dar luz ao tema, mostrando por outro exemplo, o caos, a neurose e as característica do nosso período das trevas.

Em “Cidadão Boilesen”, vemos todas as dimensões de Hensen Boilesen, bem mais que uma crítica vazia a uma persona de nossa época. Hensen Boilesen cooperou/financiou com os militares durante a ditadura militar brasileiro, chegando a participar e apreciar as sessões de tortura, apreço mostrado no longa com indícios em sua infância. Mas esse mesmo homem é responsável por institutos educacionais e ajudas socias, além de apresentar um perfil completamente diferente do estereótipo imaginado para alguém com igual ficha.

O documentário sabe para onde caminha. A história também compõe a persona. Se por um momento se divide a vida de Boilesen e a situação histórica eles chegam juntos e formam um.

E então temos Hensen Boilesen como poucos personagem da história brasileira puderam ter no cinema. São mesmo raros. Poucos filmes saíram do dualismo e se propõe a apresentar seres humanos completos.

cidadão boilesen (idem – 2009 , dir.: Chaim Litewski) starstarstarstar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s