do começo ao fim

Em primeiro lugar, a crença de que um tema tabu, polêmico, e um pouco de nudez frontal garantem um filme forte e corajoso. De corajosos talvez os dois atores que se arriscaram a tal papel com uma problabilidade de carreira global. Não que apresentem, também, alguma boa coisa para arriscar.

Se a opção fosse por falar de amor incontível, então faz-se mesmo necessário a opção sexual escolhida para os protagonistas? Não existem conflitos que justifiquem a escolha. Na verdade, não existem conflitos suficiente para justificar nenhuma das duas. A distância de uma viagem – e uma viagem de apenas três anos – é batida e fraca para qualquer cinema. Sem apatia pelo casal e talento no roteiro fica ainda mais difícil.

Nem comento a direção. Dizer que filmes publicitários  chegam a ser mais presentes que a estética de dramalhão de novela das oito já parece suficiente.

do começo ao fim (idem – 2009 , dir.: aluísio abranches) BALL

Anúncios

2 Respostas para “do começo ao fim

  1. O amor está tão desacreditado nos tempos de hoje que ao depararmos com o amor do “Do começo ao fim” nos causa uma certa estranheza: “Não tem conflito nenhum”, “parece que acabou no meio da trama”, “SÓ O BRASIL PRA PRODUZIR ESSA BOSTA” (comentários frequentes). Sempre existe uma intensionalidade em uma obra, possivelmente cada autor a alcança, senão não a publicaria; Drummond ao descer do seu apartamento e caminhar ate a padaria do outro lado da rua encontrou a pedra mais famosa de sua obra, tratados e tratados de psicologia se puseram a identificar o conflito em que o Itabirano esta vivendo. Era só uma pedra. Estamos tão acostumados a associar amor e sofrimento que sentimos que a trama não pode começar e acabar no amor e quando este se ajunta a homossexualidade então que pode mesmo. Não é porque se é homossexual que se tenha conflitos. Conflito surge quando há necessidade de escolhas, ou seja, estágio de alternância, todos somos passíveis de conflitos e o vivemos na intensidade de cada um. Salve, salve Brasil, por não querer fazer da arte modismo. A arte não tem que atender o gosto de todo mundo, Hollywood. A arte se tem objetivo deverá ser o de estimular nossa percepção, emoções e ideias. Congratulações atores e direção pelo brilhante trabalho.

  2. Leonardo, eu poderia simplesmente atenuar o rídiculo técnico do filme. É suficiente para que ele seja ruim.

    Mas prefiro as idéias.

    O filme oferece conflitos, a princípio com o incomum no amor dos irmãos. A resolução é tão rápida e indolor que passa desnecessária. Novamente o filme propõe um conflito com o convite para a natação do irmão. Mais uma vez, e daqui já partindo do clichê, resolve-se no óbvio. O problema não é a falta de conflitos, e sim a falta de profundidade que o roteiro dá para os que são apresentados, são inertes, anuláveis. E não, “não ter fim”, se entendi o porquê da frase, também não é o problema. Dois do romancs do Amanhecer,Antes do Pôr do Sol).es mais belos feitos pelo cinema “não têm fim” (Ante

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s